3
ago

A hora e a vez dos Food Trucks.

Os Food Trucks, caminhões especializados em comida de rua, viraram febre no mundo todo. Se lá fora eles já estão incorporados à cultura de comer bem e rápido a preços acessíveis, por aqui ainda esbarram em leis, como as que restringem o tamanho dos veículos ou os locais onde podem funcionar. 

Foi-se o tempo em que, estacionados sempre no mesmo lugar, vendiam cachorro quente, hambúrguer, espetinhos ou pastel. Hoje é possível encontrar de confit de pato a comida vegetariana, passando por tacos, massas, sushis e – acreditem – pizzas assadas em forno a lenha. Sem contar os especializados em bebidas alcóolicas, como cervejas artesanais e vinhos. 

Montar um destes pode custar de 40 a 250 mil reais. Depende de quanto se está disposto a investir. Pode ser a partir de antigos carros de carga (os que mais lembram os trucks de Nova Iorque), utilitários do tipo Sprinter, Kombi, importados chineses e coreanos ou trailers, que têm o inconveniente de precisarem ser rebocados. 

Em Belo Horizonte, a lei ainda não permite veículos acima de mil quilos, o que inviabiliza os caminhões. Mas já existem opções como o Tacomtudobh, especializado em tacos, que oferece 12 variações de sabor, o Go Pasta, com 4 tipos de massa, incluindo ragu de cordeiro, e o Carro Vegetariano, que chega a servir até 130 porções de comida vegana por dia.

Alguns Food Trucks espalhados por aí:

Food Truck Paris

O La Cantine California, em Paris. De tacos mexicanos a produtos biológicos.

Los Mendozitos

No Los Mendozitos, em São Paulo, vinhos de pequenos produtores de Mendoza, na Argentina.

Kombosa Shake

Kombosa Shake. 50 receitas de milk shake nas ruas de São Paulo. 

Fotos: Conexão Paris e Folha de S. Paulo.

Veja também

Comentários